2017

Aprendendo a Pensar sobre os Sentimentos♥

09:00

Passamos por uma fase bem difícil com o Muri, nesse assunto de sentimentos. Cada dia ele se mostra cada vez mais fechado sobre isso, aos poucos vem melhorando, ele não fala muito sobre os seus sentimentos, e então com um presente que recebeu da minha mãe esses dias me peguei pensando.
"Será que ele não fala porque ele não sabe defini-los?"
E com certeza, foi um dos presentes mais legais que ele já ganhou nos últimos tempos, ele está completamente apaixonado pela leitura, e gosta de livros assim fáceis de ler e com ilustrações bem chamativas, e coisas que refletem o seu dia a dia sabe? Muitas das vezes ele acaba demonstrando seus sentimentos por meio de desenhos, então esse presente veio em ótimo momento para nos ajudar nessa parte, de ajudar o Muri a pensar e a definir os seus sentimentos em cada situação.


Uma coleção de 4 livros, falando sobre Paciência, Amor, Raiva e Gratidão.
Livros curtos, no máximo umas 20 páginas por livro, com ilustrações bem grandes e pequenas frases por páginas, com coisas do dia a dia e contados em primeira pessoa. Super fáceis de entender. 

No dia em que ele ganhou a gente já leu os quatro livros e o mais legal foi que cada vez que íamos lendo sobre as histórias dos personagens, ele conseguia lembrar de um acontecimento dele e relacionar ao sentimento do qual estavámos falando e consequentemente como o personagem já dava a solução para melhorar a situação ou sentimento, ele já foi "entendendo". 

Combinamos que ele vai ler os livros sempre que se sentir confuso sobre algum sentimento, ou situação, no livro da Raiva/Paciência a parte que eu mais gostei e que eu vou tentar exercitar MUITO com ele é a parte da conversa, dele se abrir comigo e ser sempre sincero sobre o que esta querendo, pensando e que ele aprenda que sempre podemos conversar para resolver uma situação.

O livro da Gratidão também vai ser super importante para nós, pois eu preciso que ele aprenda que por mais que ele tenha MUITO, e quando eu digo muito, é que ele sempre todos os brinquedos que quer, sempre consegue de algum jeito seja pelos avós ou por nós mesmo ter tudo o que queria. Que ele aprenda a dar valor a pequenas coisas também, a tudo que ele tem, cama, cobertor, carinho, família, comida, cachorros, conforto, tudo...que ele aprenda a praticar essa gratidão sempre agradecendo por ter aquilo. E saiba cada dia mais o valor das coisas em sua vida, e principalmente do SER ou invés de TER as coisas.


Muitas das vezes me pego olhando pra ele, e pensando que ele ainda é meu bebê e que estamos indo rápido demais, ai quando vejo ele tendo que lidar com tantos sentimentos, "sofrendo" por não saber como resolver qualquer situação. Me sinto destruída por dentro. Sabe aquela coisa de mãe? De querer proteger de tudo, de querer que ele nunca passe por nada de ruim na vida? Eu me sinto assim todos os dias. 

Mas infelizmente, ele está ai com quase 7 anos, um homenzinho, tão independente que as vezes me assusta sabia? Me vejo muito nele, não sei se porque estou seguindo muitos passos da criança da minha mãe, mas ele é tão eu de corajoso, de enfrentar, de não ter medo do desconhecido, e sim ter sede do mundo, de vida, do novo. Ele simplesmente vai, caminha praticamente sozinho e nós sempre o observando e parece que estamos no caminho certo, ele sabe que pode ir e que sempre terá o nosso porto seguro quando precisar voltar. 

Fui criada assim sabia? Sempre tive total liberdade para ser que eu quisesse ser, mas a minha mãe sempre esteve ali para nós amparar e nos mostrar o que era certo e errado, mas nunca nos obrigou a escolher um caminho e sim nos aconselhou o melhor. 

Infelizmente não podemos viver pelos nossos filhos. E hoje esse é um dos meus maiores projetos de vida e desafio, ando lendo MUITO sobre tudo o que eu quero que o Muri aprenda, sobre essa fase da primeira infância. Estou tentando me conectar cada vez mais com ele, e sim, eu nem imagina mas existem tantos e tantos livros bons sobre esse assunto. 
Não sei mais se cogito passar ele com um psicologo, acredito hoje que isso seja mais meu e do pai do que de um profissional. Ando conversando muito com o Rapha também precisamos seguir o raciocínio e caminhar juntos para que ele não se confunda mais. 

E seguimos aqui, na difícil missão de EDUCAR! Venho contar sobre as melhoras dele ao longo do período.♥  

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada pela visita!