2015

Período Integral - Conversando com a Psicóloga e Coordenadora! #Muriaos4

18:14

Quem vem acompanhando a gente a algum tempo viu, que no começo do ano eu escolhi o Período Integral na escola para o Muri, por dois grandes motivos, primeiro porque a rotina dele estava muito louca de me acompanhar no trabalho na parte da manhã, segundo porque ele não comia direito na hora do almoço, porque tinha que ser tudo muito rápido. Um motivo também que eu precisava de mais tempo para o trabalho, já que as tarefas vem aumentando cada vez mais. Bom, mas esse último motivo eu nem levo tanto em consideração, porque isso poderia ser resolvido de outra forma. Mas colocamos o Murillo no integral, ele teria várias atividades, um cardápio acompanhado por uma nutricionista na escola, hora do sono e tudo mais.

O Muri começou a estudar quando ainda estavámos de férias da faculdade, em Janeiro, então ele estava achando o máximo né? Passava o dia na escola brincando se divertindo, chegava em casa e curtia muito eu e o papai, tudo mil maravilhas, e meu coração aliviado dele ter se adaptado bem a nova situação. Até que começamos a ir para a faculdade, nosso tempo a noite para ele diminuiu cerca de 90% e ele percebeu e a saudade começou a falar mais alto (nessa parte me sinto a pior mãe do mundo), enfim, chegando em casa as 23h todos os dias e ele estava dormindo, ou nos esperando e morrendo de sono, irritado, daquele jeito que vocês sabem que criança fica quando está com sono. Paciência era nossa lei aqui em casa, quando chegamos ele está acordado ainda brincamos com ele até 1h da manhã por ai, ou assistimos algum filme para acalmar a situação.



Porém uma criança que vai dormir mais de 1h da manhã não consegue nunca na vida acordar as 6h da manhã para ir pra escola, então que ele começou a se atrasar vários dias para escola por conta desse cansaço, que o fez pensar que a escola é chata, e ele precisa dormir e ficar com os pais dele. Pronto, o pesadelo estava feito, Murillo não queria ir para escola nenhum dia, primeiro falou de um amiguinho que estava incomodando ele, e claro, eu fui até a escola saber o que havia acontecido.  Assunto resolvido, ciúmes de filho único de ter que dividir atenção com um novo aluno. Passou!

Mas, mesmo assim ele não queria mais ir para escola, todos os dias um chororo, sem fim, uma verdadeira guerra para deixa-lo na escola, de ter vezes de ter que sair escondida de novo e me sentir a pior mãe do mundo por ter que fazer aquilo. Em nenhum momento cogitei algum erro da escola, sim porque eu conheço meu filho e outra porque eu estudei na mesma escola por toda a minha vida, conheço bem todas as pessoas que lidam com o Murillo, e isso seria impossível.

E lá vamos eu e o Rapha juntar as peças do quebra-cabeça, Murillo é filho e neto único das duas famílias, mais mimado impossível né? Passou por muitas mudanças de uma vez só, nós dois na faculdade, o período integral, ele sempre ficou muito com a gente desde bebê, todas as noites eram só pra ele, todos os dias ficava jogando bola com o pai sem parar, e tudo mudou de um dia para o outro. Ele só tem 4 anos, não é tão fácil aceitar tantas mudanças assim.

No mesmo dia em que conversamos disso, a psicóloga da escola me ligou, marcamos uma reunião para o dia seguinte, fomos eu e Rapha, sim eu acho que a presença dela era importante, porque uma coisa sou eu contar sobre a conversa e outra é ele estar lá e ouvir, questionar o que quisesse. Bom ele mais ouviu do que falou, ele é assim, eu sabia que isso ia acontecer! hahahahahaha.

Meu maior medo com essa conversa, como estava o psicológico do Muri. E foi minha primeira pergunta a ela, a resposta aliviou meu coração. Ele está ótimo psicologicamente, participa de todas as atividades da escola, brinca e tudo mais, não chora, mas sim reclama que sente nossa falta e luta com a sua cabecinha para entender que é necessário que a gente estude para ele ter um futuro melhor. Porém, na idade dele não é tão fácil de assimilar tudo isso "eu quero" e o que realmente ele pode receber.
Também falou sobre ele aprender que por mais que eu e o pai trabalhamos com nossos pais, ele não pode ir trabalhar conosco, aquele é um lugar de adultos e ele precisa se permitir ser criança antes de chegar na vida adulta, ele precisa conviver com crianças, brincar como criança e aproveita tudo o que estamos oferecendo para ele nesse período integral com crianças, com muitas atividades e esportes, legais para ele.

Na nossas famílias não existem muitas crianças, então o Muri acaba convivendo só com adultos, o que faz ele não querer ser criança e sim um adulto. Isso sim pode prejudicar e muito a vida dele daqui pra frente.

O que eu e o Rapha pedimos na reunião, que a escola se adapte ao Murillo, ele precisa dormir até um pouco mais tarde e vai poder dormir na escola, ele não costuma dormir de tarde, então vão leva-lo para outra atividade, ele ama futebol e vai fazer, ele adora carrinhos, filmes, histórias. E no período da tarde que é quando ele só faz atividades do integral, a escola vai se adaptar a ele., para mostrá-lo que lá também é muito legal de estar.

O que eu e o Rapha vamos mudar? O Rapha vai tentar ir buscá-lo mais vezes na escola, e brincar mais com ele antes de ir para a faculdade e depois. Eu pretendo pegar ele mais cedo na escola os dias que conseguir para ficar mais tempo com ele antes de ir para faculdade. Além de dedicar os finais de semana a ele com a gente né?

Decidimos que vamos tentar por pelo menos mais uns 15 dias, se mesmo assim, ele não quiser, não vamos insistir e vamos voltar para o meio período, que Deus nos ajude! hahahahaha.








You Might Also Like

0 comentários

Obrigada pela visita!