gallery

Como contei da gravidez para os meus pais!

08:00

A parte mais difícil da gravidez na adolescência?  Com certeza, né?  
Lembro que para contar para eles, eu esperei uns 4 meses depois que descobri. Não sabia como contar, estava fugindo de casa, passava mais tempo na casa do Rapha do que na minha. rs. Sempre que ficava na minha casa, ia logo dormir e nem queria conversar muito. 
Achava que eles iam reparar na minha barriga (não tinha barriga nenhuma ainda). Um dia fui me arrumar para sair em casa, e pedi para minha mãe arrumar a minha saia, ela me ajudou e depois apertou minha barriga, meio irônica disse:
- ta gordinha hein camila?  
congelei, congelei de verdade, nem piscar eu conseguia, na hora pensei fu.... vou ter que contar agora, não tem jeito! (agora, não consigo parar de rir, quando lembro da cena, mas na hora foi muito tenso!) 
Mas consegui me livrar, falei que estava comendo mais, porque eu e o Rapha só saímos para jantar! Me arrumei voando e logo o Rapha chegou. Ufa, escapei de uma. 

Então tivemos a ideia, já que vamos tomar bronca, vamos tomar uma bronca juntos né? E aí resolvemos fazer um jantar para reunir nossos pais e contar a grande novidade. Marcamos um dia, o pai dele faltou, levantamos da mesa e fugimos de novo, fomos para qualquer lugar. Marcamos outro dia e meu pai faltou, droga, como íamos fazer?  Fugimos de novo, falamos que tinhamos um aniversário para ir. Isso eu já devia estar com uns 3 meses de gravidez. Nesse último final de semana que conseguimos adiar o jantar, todos já estavam desconfiados né?  Se já não sabiam, e davam fingindo. rs. Minha irmã e o irmão do Rapha já sabiam e eram os únicos. 

Passou uma semana, e eu passei mal na escola, e o Rapha me levou no pronto socorro, quando fizemos realmente o exame de sangue e comprovamos a gravidez mais uma vez. Nesse dia depois do hospital fomos para a casa dele, e advinha?  Como são as coisas né?  Encontramos a mãe dele no elevador, e minha mãe já tinha ligado para ela e contado que eu estava no hospital com o Rapha. Advinha a pergunta? 
-E ai o que deu lá no hospital?  
Nos olhamos com um cara de pânico total, e agora? O que falar?  Não me veio outra coisa na cabeça.
-Estou com uma virose! hahahaha. 
A porta do elevador nunca demorou tanto tempo para fechar na minha vida, só por Deus, eu estava parecendo um pimentão. 

No final de semana saímos como sempre, e no domingo de manhã minha mãe me mandou uma mensagem: Camila, preciso conversar com você é urgente! Venha para casa! 
Em seguida chegou uma mensagem da minha cúmplice querida, amor da minha vida, minha irmã gêmea e madrinha do meu filho:  Cá a mãe comprou um teste de farmácia, ferrou, ela está te esperando! 

Pensei, pensei. Chorei de novo, contei para o Raphael. E chegamos a conclusão, não tinha mais para onde correr, tinhamos que comprar, não sabíamos mas eu já estava com 4 meses de gravidez. 
Respondi a mensagem da minha mãe.
MÃE EU TO GRÁVIDAAAA! NÃO PRECISA FAZER TESTE, JÁ FIZ EXAME DE SANGUE. TO INDO PRA CASA! 
Pronto contei, por mensagem, sim por mensagem.Porque?  Porque o desespero foi tanto de receber aquela mensagem dela que não consegui segurar. Na hora levantamos, nos trocamos, e fomos para minha casa. Ah, querem saber a resposta da minha mãe? 
- Ok, estou te esperando! 

Fala se não é para ficar com mais medo ainda?  Morrer do coração no caminho, ou até antes de sair?  Eu morava a uns 7 km da casa do Rapha, mas aquele caminho nunca pareceu tão rápido, juro. Pra mim, aquele dia, chegamos na minha casa em uns 2 minutos! hahahaha. (desespero definia o nosso estado! não trocamos uma palavra se quer o caminho todo). 

Mas na hora de entrar na minha casa, o Rapha me deu a mão, (ufa, ele esta do meu lado.) foi a única coisa que consegui pensar. Minha mãe nos esperava na porta, sem muito papo, sentamos no sofá e aguardamos a bronca que aconteceu, não me pergunte por quanto tempo, mas foi bastante. 

A primeira pergunta da minha mãe?  - Vocês tentaram tirar o bebê? Na hora respondemos que não, e o papo alivio graças a Deus. haha. Ouvimos que éramos irresponsáveis, que teríamos que mudar toda a nossa vida, enfim, tudo que vocês ouviram também certeza!
Depois ela chamou o meu pai que estava no quarto. Na hora olhei para o Rapha, e pensamos juntos, agora fu..... hahahahahaha. 

Meu pai veio quieto pelo corredor o quarto deles era bem no final do corredor, chegou na sala e passou por nós, deu um oi! Minha mãe deu uma bronca nele e mandou voltar para conversarmos. Ele olhou para o Raphael e só disse uma coisa: - Parabéns, seja homem! 
Fim, foi isso que meu pai disse! Fiquei besta! Não falou mais nada, teve até sorriso no final. 

E depois perguntou, - se vocês quiserem, podem me dar o bebê. (o que??? meu pai quer o bebê para ele? meu pai ama crianças! hahaha, foi muito engraçado, juro! vocês não imaginam a minha cara!) 

Depois minha mãe perguntou para o Rapha quando ele ia contar para os pais dele, ele disse que no dia seguinte (segunda-feira). Tadinho do Rapha, que aguentou toda a bronca sozinho! 
Mas no dia seguinte todos já estavam dando presente e nos mimando muito! :) 
E vocês meninas como contaram para as pais sobre a gravidez?  



You Might Also Like

1 comentários

  1. Nossaaaa! Graças a DEUS o Raphael continuou ao seu lado e os seus pais te ampararam... Seu filho é lindo! Beijos lindona, fique com DEUS♥

    http://blogonovodedeus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!