uma tonelada a menos...

22:03

o peso, que peso você deve estar se perguntando?  o peso da maternidade, do filho, da educação do filho, da casa, da arrumação, da viagem, do dia a dia, de tudo. de tudo mesmo. 

as vezes pode ser que eu sou chata de mais, ou ele é relaxado de mais. ou eu me preocupo muito com tudo? sei lá. eu sei que eu não vejo isso só em mim, e posso até ter acostumado mal. mas hoje vamos falar da maternidade, ok? 

não pera, vamos começar pelo sexo. bom vamos lá, eu acreditei por culpa minha, assim diz a sociedade, mas na verdade eu engravidei por culpa NOSSA das duas partes, não nos protegemos e sim eu não tomei o bendito anticoncepcional. mas para todo mundo?  eu estava dando o golpe do baú, sim, porque engravidei quando tínhamos somente três meses de namoro. 

quem passou mais vergonha? eu, porque eu sabia como todos me olhavam e até hoje chega cada conversa uma pior que a outra no meu ouvido. ai que eu ando meu cansada desse PESO todo na minhas costas, eu sou chata com o Murillo morro de ciúmes e medo de perder ele, muitas vezes eu também até me privo das coisas para poder ficar com ele e o Rapha ter um tempo para ele. 



mas de um tempinho para cá, eu resolvi me libertar de parte desse peso e passar uma boa parte para o pai do muri, a parte que é dele. 

e sabe o que eu percebido com tudo isso? 
que ele sabe muito bem qual é a parte dele, só que eu por querer ser A MELHOR MÃE DO MUNDO (coisa que não existe!) estava me culpando, me cansando, me maltratando para querer ser o impossível e ele estava livre e de bem com ele mesmo, o que eu não conseguia estar. 

e querem uma dica?  o peso sobre nós sempre vai ser pior, se nós permitimos isso, eu me permiti por muito tempo me culpar por tudo e me cobrar muito por tudo isso, porque eu aceitava isso de todo mundo. 

ser feliz não dói e não cobra nada. então por isso, eu resolvi deixar a parte dele com ele. hoje eu consigo me cuidar, eu consigo curtir mais o meu relacionamento, a minha paz, os meus amigos, a minha família. 
hoje eu sou outra pessoa e não sou a melhor mãe do mundo e to longe disso sabia?  

hoje eu não guardo nada pra mim, nada, não deixo passar a minha opinião em lugar nenhum, não perco meu tempo com quem não me acrescenta nada, ah, sabe aquelas pessoas que lá quando engravidei me culpavam, elas mesmas, ninguém vai pagar minhas contas. 

meninas, esse foi mais um desabafo, para todas as que comentam na nossa fan page, "nossa como eu queria que fosse assim" ... vai ser, só se a gente quiser, NINGUÉM vai mudar nada pela gente. 
então não peguem todo o peso da maternidade para vocês, tudo existe um meio termo, pai também é BOM, e no caso do Muri, não tenho do que reclamar ele é maravilhoso, e a conclusão? por deixar me levar pelo o que a SOCIEDADE me cobrava, eu não deixava ele ser pai. 

Não existe só amor incondicional de mãe, existe de pai também , acreditem! 
eles são tão capazes como nós! 




You Might Also Like

3 comentários

  1. Adorei essa postagem...
    Acho que isso é de mulher, queremos trazer todo trabalho para nós, para que os outros possam descansar, se divertir, aproveitar o tempo...
    Ficamos exaustas, sem tempo para nada, ate para nós mesmos, ficamos infelizes e sentimos culpa por isso!
    Parei de ligar para o que as pessoas falam sabia, sou muito mais feliz assim!
    E espero que esse post alerte muitas mãe s e mulheres para mostrar que a função é dos dois :)
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Concordo, sabia? É nosso peso a educação, além do lar e do marido feliz. Me sinto assim também, tudo cai sobre nós. Eu não saio mais, aprendi a me cuidar em casa por não ter tempo pra salão, shopping sozinha? Ah nunca mais... aí as pessoas dizem ''foi culpa sua que não se cuidou'', mas não é só maternidade, é paternidade também né...
    Bom, até eu acabei desabafando aqui! hahahaha
    Escreva mais, é sempre bom ter você por aqui! ♥

    Blog Marcella Beato ♥

    ResponderExcluir
  3. Estava pela internet procurando blog justamente que me identificasse, e de cara leio esse post que diz praticamente tudo que penso e sinto, me dando até vontade de comentar. Pois bem, nossa história é bem parecida em pontos, também engravidei com três meses de namoro, e também sofri por fofoquinhas como o golpe do baú. Passado esse momento de "Oh, Nossa! Ela está grávida" , veio a minha fase, em que fiquei depressiva , perdida e um tanto culpada. Por vezes acho que isso está superado, em outros momentos me afogo totalmente em culpas. Sim, ainda. Minha nenem tem sete meses e eu vinte e um anos, atualmente somos apenas nós três: Gabriele, eu e meu marido. Precisamos mudar de estado devido a profissão dele, e por mais que eu prefira morar aqui, as coisas tornaram-se mais dificieis sem ajuda. Ok, ele me ajuda MUITO praticamente em tudo (lógico, quando não está trabalhando) porém me sinto culpada, esgotada, presa numa rotina e isso me maltrata demais. Sou muito feliz com a minha filha, feliz demais. Mas a culpa por ter largado vida profissional, e ainda não ter conseguido voltar, justamente por conta financeira para coloca-la numa creche e falta de confiança para deixa-la com alguém, faz minha culpa e agonia crescer; Culpa por não ter tempo de me cuidar, nem cuidar da minha casa. Culpa por estar insatisfeita com meu corpo, comigo mesma. É complicado, complicado demais.. ainda não cheguei nessa etapa onde tudo os pesos tornam-se menores e espero que ela venha logo ...
    Obrigada pelo blog, precisava realmente desabafar com alguém que me entenda mesmo sendo por uma telinha.

    um bjuuuu

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!